Within Temptation se reencontra com fãs cariocas em mais um memorável show no Circo Voador

Por: Leonardo Melo

Foto: Antonio Cesar/UDR
Foto: Antonio Cesar/UDR

Promessa feita, promessa cumprida. Em fevereiro de 2012, ao se despedir dos fãs cariocas no palco do Circo Voador, após sua primeira apresentação no Rio de Janeiro, a talentosa e bela vocalista Sharon den Adel avisou, ao lado de seus companheiros do Within Temptation, que voltaria à cidade em breve. Eis que menos de três anos depois, a banda holandesa mostrou que tem palavra. No último sábado (29 de novembro), o grupo retornou à mesma – e igualmente lotada – icônica arena da Lapa, agora para divulgar seu sexto álbum de estúdio, “Hydra”, lançado em janeiro.

A atual turnê na América Latina já passou pelas capitais do México, El Salvador, Colômbia, Chile, Argentina e incluiu outras duas cidades brasileiras, Recife e São Paulo, no roteiro. No set-list do Rio, o novo trabalho também esteve presente com sete de suas dez faixas. “Paradise (What About Us?)”, a primeira do CD, foi responsável pela abertura do show. Na empolgante canção, Sharon faz dueto, logo de cara, com outra diva do metal, a finlandesa Tarja Turunen (ex-Nightwish), que aparece em vídeo projetado ao fundo do palco.

Tal recurso audiovisual, aliás, se repete em outras músicas que tiveram convidados especiais na gravação de estúdio. É o caso de “Dangerous” com a participação do vocalista Howard Jones (Devil You Know, ex-Killswitch Engage), de “And We Run” com o rapper Xzibit dando um ar “Linkin Park” à faixa, e de “What Have You Done”, do álbum “The Heart of Everything” (2007), com Keith Caputo (Life of Agony).

Mas a festa é mesmo de Sharon. Além das habilidades vocais, que passeiam por tons angelicais aos mais graves, a dona da noite agitou, pulou e entregou à plateia uma performance irrequieta, intensa, contagiante. A simpática vocalista segura o pique do show até mesmo quando uma canção bem dançante como “Sinéad”, do disco “The Unforgiving” (2011), é convertida para o formato acústico. A sra. Westerholt (Sharon é esposa do guitarrista Robert Westerholt, cofundador da banda, mas que deu um tempo nas turnês para cuidar dos três filhos do casal) traduziu em uma frase a energia que também vinha do público e o calor que fazia no Circo. “Está ficando quente aqui”, comentou após a boa e metálica versão para “Summertime Sadness”, da cantora Lana Del Rey.

Durante “Stand My Ground”, do álbum “The Silent Force” (2004), pegou uma bandeira brasileira, arrancando aplausos gerais, e foi literalmente coroada por um fã, na execução de “Angels”, pertencente ao mesmo disco. Já em “The Promises”, do CD “Mother Earth” (2000), Sharon incorporou ao figurino que usava (corpete, minissaia e botas pretas), uma máscara e um manto branco, com o qual bailou pelo palco, quase como se fosse voar sobre a plateia. Tudo isso, diga-se, com a escolta dos competentes Ruud Jolie e Stefan Helleblad (guitarras), Martijn Spierenburg (teclados), Jeron van Veen (baixo) e Mike Coolen (bateria).

Por sua vez, o público não ficou devendo. Cantou, gritou, pulou, fez chover papel picado em “Edge of the World” (outra faixa do novo trabalho) e lançou balões coloridos, que a banda devolvia para a pista, em um belo resumo da sincronia entre os dois lados. Regida pela vocalista, a massa também soltou o gogó ao cantarolar o início de músicas como “In the Middle of the Night” (mais uma do álbum “The Unforgiving”) e “Ice Queen” (do igualmente já citado “Mother Earth”). Aliás, a faixa-título deste último encerrou o show, pois “Stairway to the Skies”, que vinha fechando o set da turnê até aqui, foi cortada infelizmente do repertório.

Fora este pequeno “deslize”, ao fim de aproximadamente uma hora e quarenta minutos de apresentação, com direito a já tradicional pose para foto com o público ao fundo, não seria exagero afirmar que o Within Temptation fez valer o ingresso novamente. Como mesmo diz o título de uma música do grupo, o que se viu, mais uma vez, foi uma perfeita harmonia entre a banda e o público, que espera desde já pelo próximo retorno dos holandeses ao Brasil. E, claro, ao Rio de Janeiro.

Set-list:

01. Paradise (What About Us?)
02. Faster
03. Let Us Burn
04. In the Middle of the Night
05. Edge of the World
06. Jillian (I”d Give My Heart)
07. Stand My Ground
08. Summertime Sadness (Lana Del Rey cover)
09. And We Run
10. The Promise
11. Dangerous
12. Angels
13. Sinéad (Acoustic)
14. Hand of Sorrow
15. What Have You Done
16. Silver Moonlight
17. Mother Earth

Encore:
18. Covered by Roses
19. Ice Queen

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.