Tarja Turunen – The Shadow Self (2016)

Por: Juliane Assis

tarja_the_shadow

Tarja Turunen, o eterno nome do “The Nightwish”, lança seu sétimo álbum de estúdio o “The Shadow Self” (2016), dois meses após a divulgação da prévia “The Brightest Void”. O disco mais recente de Tarja, produzido pela earMUSIC,  procura demonstrar as características da personalidade musical da artista.

A faixa “Innocence”, que abre o disco, se inicia com um piano bem trabalhado e inspirado em Spring Waltz, uma das obras do pianista e compositor Chopin. O arranjo com uma sonoridade limpa antecede riffs de guitarra pausados e grosseiros, que fazem o ouvinte voltar à realidade do metal característico das composições de Tarja. A música também é regida por uma orquestrada composta por instrumentos de corda, além de bateria, e guitarra que atuam no compasso do piano e da voz angelical da intérprete.

A segunda música “Demons In You” conta com a participação especial dos vocais guturais de Alissa White-Gluz, frontwomen do Arch Enemy. A faixa, uma das melhores do disco, apresenta riffs e bateria simples, mas que se complementam a um baixo bem trabalhado atuando em um plano de fundo sombrio, formando uma boa construção harmônica. O dueto dos vocais das duas artistas, estes que se sobrepõem, traz o diferencial para a música. Já a faixa “No Bitter End”, que fazia parte da prévia do disco, vem apenas com algumas alterações, como uma introdução dedilhada antes do refrão. Agora “Love to Hate” combina um piano exuberante com um riff forte no começo, gerando expectativas altas para a música, que é boa quando esses elementos aparecem, mas é empobrecida quando os mesmos caem, e dão lugar a harmonias calmas, instrumentos de corda com regimento clássico e coral de fundo, tornando a música confusa. Em contrapartida o vocal de Tarja se supera no quesito interpretação.

O cover do álbum é “Supremacy” do Muse, a faixa original que já ocupou a segunda posição do Rock Charts no Reino Unido, já contava com elementos orquestrais e arranjos clássicos, e na versão de Tarja a música ganha elementos que a tornam característica de metal sinfônico, como riffs de guitarra pesados e bateria agressiva. A sexta faixa, “The Living End”, vem como a balada do CD, iniciada por um violão com sonoridade calma, seguida por um piano e uma gaita de fole, esta que a primor atua ao fundo, mas logo após ganha maior destaque, junto com o vocal técnico clássico de Turunen, passando uma sensação de reconforto e calmaria.

A música “Diva” veio como uma crítica à conturbada carreira musical que Tarja esteve envolta no passado, quando foi demitida em uma carta aberta á imprensa do “The Nightwish”, além do significado pessoal, a música é bem estruturada. A bateria que se entrelaça com os instrumentos de corda ao fundo, e a interpretação da vocalista faz com que todos os elementos conversem entre si com eficácia. “Eagle Eye” não recebeu muito destaque pela mídia, mas é uma boa música, melódica, contudo com riffs marcantes, pesados e com participações especiais de Toni Turunen, irmão da vocalista e Chad Smith, baterista do Red Hot Chili Peppers. Já “Undertaker” apresenta arranjos baseados em uma orquestra erudita e piano, entretanto conta com a presença de uma bateria forte e um excelente solo de guitarra trabalhado em diferentes tons e velocidades.

A décima música do álbum, “Calling from the Wild”, recheada de staccatos vocais/instrumentais, de “baking vocals” e de guitarras compassadas, pode ser considerada uma boa música, porém um tanto exorbitante. Já “Too Many”, encerra o disco com chave de ouro, apresentando construções de piano clássico mesclado à guitarra e a percussão velozes, no ritmo dos agudos vivazes do vocal, a música tem inúmeras variações de tons, e elementos eletrônicos, que no final se esvaem para dar lugar à linda voz de Tarja que transborda técnica erudita de controle de notas.

O álbum recebe nota 9. É um excelente álbum de metal sinfônico, e procura estabelecer a competência musical da carreira solo de Tarja Turunen, além de totalmente capacitado de conquistar tanto os fãs novos, quanto os antigos e até os que não gostam de metal sinfônico.

tarja_the_shadow2Tracklist:

01. Innocence
02. Demons in You (feat. Alissa White-Gluz)
03. No Bitter End
04. Love to Hate
05. Supremacy (Muse cover)
06. The Living End
07. Diva
08. Eagle Eye
09. Undertaker
10. Calling From The Wild
11. Too Many
12. Hit Song (faixa escondida ao final de Too Many)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário