System of a Down é impressionante… mais uma vez.

Por: Danielle Barbosa

O grupo californiano apostou em sucessos de sua carreira e tocou canções
que não performava ao vivo há bastante tempo.

Foto: Isabela Catão/Universodorock
Foto: Isabela Catão/Universodorock

Havia muita expectativa em torno do retorno dos americanos – de origem armênia – do System of a Down ao Palco Mundo do Rock in Rio. A banda, composta por Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (guitarra), Shavo Odadjian (baixo) e John Dolmayan (bateria), já havia passado pelo festival em 2011, na posição de abertura para o show do Guns ‘n Roses. Na ocasião, eles roubaram a cena e foram eleitos como uma das melhores apresentações daquele ano. Em 2015, a responsabilidade era maior: fechar uma noite que já tinha tido shows incríveis dos “Deftones”, do “Hollywood Vampires” e do “Queens of the Stone Age”.

Pouco depois da meia-noite, o grupo subiu ao palco entoando “I-E-A-I-A-I-O”, do álbum “Steal this Album” (2003), sendo seguido por um coro de vozes apaixonadas. Sem qualquer formalidade, o SOAD (como é conhecida a banda) seguiu o repertório de maneira bastante linear, deixando de lado as apresentações ou interação que fosse além de um “obrigado!” com o público. Na realidade, não era necessário que nada disso fosse feito. Serj Tankian é um caso à parte dentro do rock ‘n roll. Mesmo calado, o cantor consegue transmitir com caras e olhares a sensação da música. Por diversas vezes, o vocalista fez uso da expressão corporal em detrimento do bate-papo com a multidão e chegou a arriscar, inclusive, passinhos de dança.

Os fãs, em sua maioria jovens, enlouqueceram a cada hit tocado na noite. E olha que não foram poucos! Das grandes faixas que compuseram o setlist do System of a Down, há que se destacar “Prison Song”, “Aerials” (com um incrível coro de introdução à música), a intro de “Soldier Side”, “BYOB”, “Hypnotize”, “Bounce”, “Psycho”, “Chop Suey!”, “Lonely Day”, “Question!”, “Cigaro”, “Toxicity” (com a participação de Chino Moreno, vocalista do Deftones) e “Sugar”. Parece engraçado que em um show com – incríveis – 28 músicas, quase a metade sejam canções consagradas.

Foto: Isabela Catão/Universodorock
Foto: Isabela Catão/Universodorock

A quantidade de músicas possibilitou que o grupo passeasse por todos os álbuns, apresentando – inclusive – músicas que não eram performadas há bastante tempo ao vivo, como “Temper” (desde 1999), “Attack” e “Know” (desde 2011), sem contar a conhecida “Vicinity of Obscenity” (desde 2012), o que explica a insanidade do público durante a hora e meia de apresentação. Entretanto, se forem comparadas as listas de 2011 e 2015, pouco mudou no setlist da banda. Isso se dá devido aos exatos dez anos sem o lançamento de um álbum novo (os últimos foram “Hypnotize” e “Mesmerize”, ambos em 2005). Vale lembrar que o SOAD traz em suas letras um tom bastante político, como por exemplo na canção “Soldier Side”.

A dedicação dos fãs é um ponto curioso e que merece destaque. Em geral, à medida que o show transcorre, algumas pessoas vão embora, o que deixa o ambiente menos apertado. Com o System, não foi assim. Quem curtiu próximo à grade sentiu o clima abafado e aperto. Mas tudo era festa. Os jovens berraram, pularam, bateram palmas e cabeça. Até sinalizador aceso no meio de uma das “rodinhas punk” teve. Mas, acima de qualquer coisa, a galera cantou em uníssono 90% das canções, demonstrando que o fã-clube do grupo realmente entende de System of a Down.

O encerramento, assim como a abertura da apresentação, não poderia ser mais adequado. A animada “Toxicity” fez com que a plateia pulasse como se fosse a última vez naquela noite e, a pedido de Daron Malakian, duas rodinhas foram formadas no meio do público. Na sequência, “Sugar” fechou a participação do SOAD no Rock in Rio 2015 com chave de ouro, sob muitos aplausos e gritos de “Ole ole ole, System, System!”

Não restava mais nada para a banda, a não ser agradecer e se despedir, desejando uma boa noite para todos.

O título desta resenha podia mencionar que o show foi cheio de energia, ou talvez que os fãs enlouqueceram com a banda, ou quem sabe destacar a vitalidade dos artistas no palco. Bom, a performance do System of a Down teve tudo isso (e mais um pouco). O que mais dizer?!

Eles foram impressionantes… mais uma vez!

SETLIST:
I-E-A-I-A-I-O
Suite-Pee
Attack
Prison Song
Know
Aerials
Soldier Side – Intro
B.Y.O.B.
Soil
Darts
Radio/Video
Hypnotize
Temper
Needles
Deer Dance
Bounce
Suggestions
Psycho
Chop Suey!
Lonely Day
Question!
Lost in Hollywood
Vicinity of Obscenity
Forest
Cigaro
Toxicity
Sugar


VEJA GALERIA DE FOTOS:

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário