Skank relembra sucessos em noite dançante no Rio

Por Gustavo Maiato

Mineiros tocaram seus principais hits dos três primeiros discos no palco do Circo Voador

Foto: Gustavo Maiato

Após anunciar que 2020 será o último ano do Skank, os mineiros resolveram fazer um presente de despedida para os fãs com a turnê Os Três Primeiros, com repertório focado nos três mais antigos álbuns da banda: Skank (1992), Calango (1994) e O Samba Poconé (1996). A casa escolhida para a etapa carioca da tour foi o Circo Voador, e o clima não poderia ser melhor: público comparecendo em massa, som e luz espetaculares, histórias e memórias para se lembrar no palco e o reggae característico da guitarra do líder e vocalista Samuel Rosa botando todo mundo para dançar.

O contexto também prenunciava uma noite de gala. A véspera da final do Flamengo na Libertadores agitou a atmosfera e Samuel entrou na onda: ‘Amanhã é dia de final!’, lembrava o mineiro e era respondido por ‘Mengo! Mengo!’ e algumas vaias também, é claro. As constantes alfinetadas políticas também se fizeram presente, principalmente quando a banda lembrava do contexto em que seus álbuns foram escritos. A música “In(Dig)Nação”, por exemplo, versa sobre um descontentamento social cujo paralelo atual foi lembrado pelos presentes.

Depois de um atraso que irritou muitos fãs, o Skank trouxe nos primeiros três quartos do show muitas músicas que marcaram o início da carreira, como “Jackie Tequila”, “É Uma Partida de Futebol, “Te Ver” e a emblemática “Garota Nacional”, que foi muito bem apresentada por Samuel: ‘Essa música é o nosso ‘ai se eu te pego’. O Cristiano Ronaldo dançaria ela!’, comentou para delírio de todos. No quarto final da noite, a banda resolveu colocar todas as cartas no jogo e emendou hit atrás de hit: “Acima do Sol”, “Vou Deixar”, “Vamos Fugir” e, por fim, “Saideira” lavaram a alma do Circo Voador e mostraram porque eles deixaram definitivamente o nome gravado na história da música brasileira.

Foto: Gustavo Maiato

Como diz o verso de “Acima do Sol”: ‘O caminho só existe quando você passa’. A estrada que o Skank construiu foi de uma musicalidade bastante única, misturando o rock com o ska, o reggae e o pop. Se o caminho realmente chegou ao fim, só o tempo dirá, afinal, o caminho só existe quando nós construímos ele e quem sabe o que o futuro reserva para eles. Seja o que for, com certeza os milhões de fãs pelo Brasil continuarão amando essas músicas que fizeram parte já de várias gerações.

SETLIST SKANK

1 – Réu e Rei
2 – Tanto (I Want You)
3 – Homem que Sabia Demais
4 – In(Dig)Nação
5 – Baixada News
6 – Jackie Tequila/ Chega Disso
7 – Pacato Cidadão/ Let ‘em In
8 – Esmola
9 – É Proibido Fumar
10 – A Cerca
11 – Te Ver
12 – O Beijo e a Reza
13 – Sala Bikini
14 – É Uma Partida de Futebol
15 – Eu Disse a Ela
16 – Sem Terra
17 – Zé Trindade
18 – Garota Nacional
19 – Tão Seu
20 – Acima do Sol
21 – Três Lados
22 – Vou Deixar
23 – Algo Parecido
24 – Vamos Fugir
BIS
25 – Resposta
26 – Dois Rios
27 – Saideira

Confira a galeria de fotos do show:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.