Scorpions traz repertório de clássicos e rende homenagens ao Rio na turnê de 50 anos

Por Danielle Barbosa
Foto: Bre Helvetia/Universodorock
Foto: Bre Helvetia/Universodorock

O grupo de hard rock apostou nos hits que consagraram a banda para o show na Cidade Maravilhosa

A noite do último sábado (10) marcou um momento especial para o rock ‘n roll. Era a turnê comemorativa de 50 anos de história do Scorpions – importantes precursores do movimento rock nos anos 70 – chegando ao Rio de Janeiro. O Metropolitan, palco escolhido pelos artistas, teve sua capacidade máxima de público quase atingida: havia espaços vazios apenas na Pista Premium. Nem os contratempos que antecederam o dia do show* e valores de ingressos um pouco altos desmobilizaram os seguidores fieis do conjunto. Tanto entusiasmo e expectativa foram a fórmula perfeita para transformar a atmosfera da apresentação em uma grande festa.

Os alemães já são de casa. A banda, formada por Klaus Meine (vocais), Rudolf Schenker (guitarra), Pawel Maciwoda (baixo), Matthias Jabs (guitarra solo) e Mikkey Dee (bateria) já havia vindo ao Brasil sete vezes antes da turnê atual: 1985, na primeira edição do Rock in Rio; 1997, 2005, 2007, 2008, 2010 e 2012. É bem verdade, porém, que fazia algum tempo que os europeus não vinham ao Rio de Janeiro: desde 2008. Esse fato só deixou a todos nós (mais!) ansiosos. A plateia carioca, afinal, é uma das mais empolgadas segundo a maioria dos grupos.

Pouco após as 22h, Klaus e cia subiram ao palco com a agitada “Going Out With a Bang”, inflamando a multidão e provocando gritos histéricos de todo público. “Boa noite! Tudo bem, Rio?”, perguntou o cantor em bom português. “É sempre bom voltar ao Rio, nós temos tantas lembranças boas!”, continuou, para delírio dos fãs. Há que se destacar a estrutura grandiosa montada pela produção, especialmente por se tratar de um local relativamente pequeno (para cerca de 8 mil pessoas) se comparado às turnês de estádio. Dois telões nas laterais do palco, uma projeção ao fundo com cenas sendo exibidas durante todo o show e uma passarela que cruzava até o início da Premium – fazendo com que banda e trocassem vibrações bem de perto.

No setlist carioca, um passeio por cinco décadas de hits de uma carreira mais que consolidada, com 18 álbuns lançados e uma coleção de prêmios conquistados. Os roqueiros de Hanover apostaram em uma mescla de sons mais intensos, como “We Built This House” e “Rock ‘n Roll Band”, com músicas mais melódicas e até românticas – por exemplo, as aclamadas “Wind of Change” e “Still Loving You”. Uma decisão certeira e que evidencia a experiência dos músicos em fazer espetáculos frente a grandes públicos.

Foto: Bre Helvetia/Universodorock
Foto: Bre Helvetia/Universodorock

Sempre carismático e atencioso, Klaus Meine fez questão de interagir sempre que pôde – com sorrisos, conversas, acenos e dancinhas. Além disso, a sinergia que rolou entre todos da banda e os fãs só abrilhantou ainda mais a apresentação. Por várias vezes, o público gritava “Scorpions! Scorpions!” para exaltar os artistas. Mas o clímax mesmo aconteceu no medley acústico das canções “Always Somewhere”, “Eye of the Storm” e “Send Me an Angel”, seguida pela icônica “Wind of Change”. Luzes de celulares iluminaram toda a casa de show, muitas pessoas se abraçaram e algumas não conseguiram conter a emoção e choraram.

Tributo à Lemmy e homenagens à Cidade Maravilhosa

O momento mais delicado do show talvez tenha sido o tributo – merecido – à Lemmy, ex-vocalista do Motörhead, que faleceu faz pouco tempo – cerca de oito meses. A música escolhida para homenagem foi “Overkill”, enquanto fotos do ex-cantor passavam pelo telão. Mais uma vez, a maioria do público chorou e cantou junto o clássico do grupo britânico de heavy metal, executado com muita competência por Klaus Meine. Aliás, o timbre inconfundível do alemão deu o tom da noite.

Mas as surpresas não pararam por aí! Logo após “Blackout” (do álbum auto-intitulado gravado na década de 80) e em um momento que ninguém esperava, Klaus começou os primeiros versos de “Cidade Maravilhosa” a cappella. Foi a cereja do bolo. O Metropolitan se iluminou novamente e um coro de vozes apaixonadas e satisfeitas acompanhou o músico no “gogó”. Muito bonito de presenciar ao vivo, já que é o tipo de coisa que não acontece todos os dias.

O bis explosivo

Foto: Bre Helvetia/Universodorock
Foto: Bre Helvetia/Universodorock

“No One Like You” e “Big City Nights” encerraram a primeira passagem do quinteto pelo palco e ficou a dúvida no ar se o grupo voltaria ou não.

Entretanto, se tratava de uma celebração de 50 anos, logo nada mais justo e óbvio do que encerrar com um bis especial, composto por dois hinos do rock: “Still Loving You” e “Rock You Like a Hurricane”. Na primeira, mal se conseguia ouvir a voz do frontman do Scorpions tamanho era o frisson. Já em “Rock You Like a Hurricane”, a festa teve seu fim em grande estilo, com direito a uma plateia aos berros e pulando com o restante de energia que havia sobrado.

“Obrigado, Rio! Nós amamos vocês! Boa noite!”, disse Klaus, que fez questão de reunir a banda para tirar uma selfie com o público antes de sair de cena.

O provável retorno e “até logo” dos alemães

“Esse será o nosso último show do Brasil…”, disse Klaus – interrompido por um público descontente com a notícia – “… do ano.”,  concluiu o cantor em tom de brincadeira, o que dá a entender que se depender dos integrantes, muito em breve veremos os germânicos em solo brasileiro – para o alívio e alegria de jovens, adultos e futuras gerações de seguidores do hard rock expressivo do Scorpions.

A turnê de aniversário do Scorpions se despediu do Brasil, mas ela segue pela América do Sul e pelo continente asiático na sequência.

Muitos e muitos anos de vida ao Scorpions!

*a data inicialmente divulgada da apresentação era 11/09, mas esta foi antecipada em um dia por questões da banda.

Setlist
1. Going Out With a Bang
2. Make It Real
3. The Zoo
4. Coast to Coast
5. Top of the Bill / Steamrock Fever / Speedy’s Coming / Catch Your Train
6. We Built This House
7. Delicate Dance
8. Always Somewhere / Eye of the Storm / Send Me an Angel (Acoustic)
9. Wind of Change
10. Rock ‘n’ Roll Band
11. Dynamite
12. Overkill (Motörhead cover)
13. Drum Solo
14. Blackout
15. Cidade Maravilhosa (a cappella)
16. No One Like You
17. Big City Nights

Bis:
18. Still Loving You
19. Rock You Like a Hurricane


VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.