Pearl Jam faz show envolvente e reflexivo em retorno ao Rio

Por Danielle Barbosa
Foto: Ana Clara Carvalho/UDR

O grupo liderado por Eddie Vedder apresentou seus principais clássicos em mais de duas horas de apresentação; O público foi à loucura.

Leia também: Lollapalooza Brasil: Pearl Jam faz show engajado e cheio de hits no segundo dia de festival

O Pearl Jam dispensa apresentações. Com quase vinte anos de estrada e dez discos de estúdio, a banda de Seattle arrasta uma legião de fãs por onde passa. No Brasil, não é diferente. O público, apaixonado e ávido por fazer parte do retorno de Eddie Vedder & cia ao Brasil, praticamente esgotou todas as entradas para o show da última quarta-feira, 21, no Maracanã. A apresentação precedeu a participação do grupo no Lollapalooza Brasil 2018 e marcou o reencontro dos fãs com os ídolos após cerca de três anos sem uma turnê sul-americana na agenda dos músicos (a última havia sido em novembro de 2015).

Toda a atmosfera remetia à uma final de Copa do Mundo, com a certeza de muita emoção, surpresas, mas com satisfação garantida – o jogo já estava ganho. Se, por um lado, a presença da banda por si só já causava tanto alvoroço, a certeza de que a noite prometia algo especial já veio desde o cartaz publicado pelo grupo em suas redes sociais, fazendo uma crítica politizada ao atual momento que a Cidade Maravilhosa vive. As aproximadamente 40 mil pessoas já estavam, sem dúvidas, com os pulmões preparados para vibrar com cada hit e discurso emplacado por Eddie Vedder.

Foto: Ana Clara Carvalho/UDR

“Menos é mais!”. Para o Pearl Jam, essa máxima (sempre) vale(u). Eles não precisam de palcos mirabolantes, exageros ou pirotecnia para envolver o público. O som, carisma e ‘vibe’ que saem do stage já dão conta de extasiar a galera. Mas vale destacar o primor que foi o cenário trazido para esta turnê: iluminação impecável e bolas gigantes em LED que se movimentavam para dar um ar intimista à apresentação. Nota dez! Com relação à música, é clichê demais elogiar a precisão vocal de Eddie Vedder? Talvez. Mas impossível não fazê-lo. O músico de 53 anos está com tudo. É carismático, divertido, educado, politizado, tem uma excelente presença de palco, sorrisão aberto e um vozeirão de dar inveja a muitos!

Em diversos momentos do show, inclusive, ele fez questão de abusar do seu português pra lá de enrolado e cheio de sotaque, o que só foi possível por conta de um caderninho que servia de “cola” para o discurso do cantor. A cada palavra em português, uma histeria da plateia, que apoiou e se emocionou com as palavras do vocalista. Em “Leaving Here” por exemplo, ele dedicou a canção à todas as mulheres fortes que ali estavam e pelo mundo. Que fofo, né?!

Mas um bom show do PJ, apesar de ser muito falado e de Eddie Vedder curtir dialogar com os fãs, é feito de muita música boa e set recheado de hits. Não faltou isso na apresentação do Maracanã. “Inside Job” foi a surpresa no set – muito comemorada pelos fãs de longa data por sinal – enquanto “Last Kiss” fez falta.

Setlist:
1. Release
2. Low Light
3. Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town
4. Go
5. All Night
6. Animal
7. Given to Fly
8. In Hiding
9. Jeremy
10. Corduroy
11. Even Flow
12. Immortality
13. Wishlist (dedicada ao Red Hot Chili Peppers)
14. Mind Your Manners
15. Lightning Bolt
16. Garden
17. Can’t Deny Me (com Chad Smith na bateria)
18. Porch

Bis:
19. Sleeping by Myself
20. Inside Job
21. Daughter
22. Do the Evolution
23. Black
24. Leaving Here (Edward Holland Jr. cover)
25. Blood
26. Better Man
27. Alive (com Josh Klinghoffer na guitarra)
28. Rockin’ in the Free World (Neil Young cover)
29. Yellow Ledbetter

VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW

Fotos: Ana Clara Carvalho

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário