Os italianos do Rhapsody presenteiam os cariocas com belo espetáculo

Por: Gustavo Franchini
Foto: Daniel Croce

Os criadores do estilo “hollywood metal”, conhecidos pelos fãs de power metal ao redor do mundo, resolveram anunciar uma turnê de despedida da banda, através de divulgação no facebook e site oficial, o que entristeceu a todos. Essa é a má notícia, porém a boa é que a turnê passaria por várias cidades brasileiras e teria o clássico (e maravilhoso) álbum Symphony of Enchanted Lands (1998) na íntegra, como parte do setlist.

Para tal turnê, chamada de Rhapsody Reunion, o sexteto reuniu a formação que mais perdurou na banda, com Fabio Lione nos vocais, Luca Turilli e Dominique Leurquin nas guitarras, Patrice Guers no baixo e Alex Holzwarth na bateria. Agora, você deve estar se perguntando: “mas cadê o tecladista?”. Pois é, Alex Staropoli, por questões internas, não participou dos shows, o que realmente foi bem estranho para o objetivo da banda, visto que junto com Fabio e Luca, Alex era um dos principais compositores (responsável por todos os arranjos orquestrais das músicas, por exemplo) e fundadores do conjunto musical.

Mesmo com esse porém, o Rhapsody conseguiu segurar de maneira magistral cada música apresentada. A cozinha estava entrosada e, no lugar da base e frases de teclado, eram tocados samples da gravação em estúdio, além da orquestração como um todo. Confesso que achei que ficou a impressão de estar faltando algo ali, pois a presença de Staropoli realmente seria incrível, mas compensaram com um espetáculo de tirar o fôlego.

Foto: Daniel Croce

Luca Turilli estava feliz como uma criança que ganhou um brinquedo novo, um dos destaques do show. Todavia, os aplausos da noite vão para a performance fenomenal do vocalista Fabio Lione, já bem famoso aqui no Brasil por conta de sua participação no Angra. É de impressionar a qualidade técnica desse italiano, que nos deu uma aula de imposição e postura vocal, além de alcançar as notas como se estivessem sendo gravadas no auge dos seus 20 e poucos anos (ele atualmente tem 43 anos).

Um dos grandes momentos da apresentação ocorreu logo após o hit “Dawn of Victory”, com a saída da banda para o bis. O público em uníssono puxou a parte do refrão na qual era cantada “Gloria, gloria perpetua, in this dawn of victory”, e repetiram a linha vocal, em alto e bom tom, um verdadeiro coro emocionante, de arrancar lágrimas, até voltarem ao palco. Parabéns aos fãs cariocas pelo registro histórico!

O Rhapsody provou que é excelente ao vivo, com uma energia e simpatia que conquistou a todos os presentes. Agora nos resta aguardar pelos novos projetos separados dos integrantes. E, quem sabe, um possível retorno no futuro? Se depender do carinho dos fãs e reciprocidade da plateia nos shows, com certeza. Vida longa aos guerreiros do metal sinfônico!

Setlist:
1 – Epicus Furor
2 – Emerald Sword
3 – Wisdom of the Kings
4 – Eternal Glory
5 – Beyond the Gates of Infinity
6 – Knightrider of Doom
7 – Wings of Destiny
8 – The Dark Tower of Abyss
9 – Riding the Winds of Eternity
10 – Symphony of Enchanted Lands
11 – Solo de Bateria
12 – Land of Immortals
13 – The Wizard´s Last Rhymes
14 – Solo de Baixo
15 – Dawn of Victory
Bis
16 – Rain of a Thousand Flames
17 – Lamento Eroico
18 – Holy Thunderforce
19 – In Tenebris/Gargoyles, Angels of Darkness

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário