Misfits fazem a festa de Páscoa dos fãs com show recheado de clássicos

Por: Fábio Storino

Foto/crédito: Guilherme Carvalho
Foto/crédito: Guilherme Carvalho

Criadores do horror punk, os Misfits fizeram neste domingo de Páscoa (20/3), no Circo Voador(RJ), o primeiro show da turnê no Brasil. Foi a terceira vez que a banda tocou em terras cariocas, coincidentemente, todas no mês de abril, e pela segunda vez na mesma casa – passou por lá pela última vez em 2011.

Dona de uma legião de fãs fiéis, a banda formada em Nova Jersey levou um bom público ao Circo, apesar do feriadão de quase uma semana no Rio de Janeiro e das nuvens carregadas, que ameaçavam um temporal durante a tarde. Mas a única chuva que chegou foi a mais esperada pela plateia. Às 21h05, Jerry Only (baixo e vocal), Dez Cadena (guitarra) e Eric “Chupacabra” Arce (bateria) entraram em cena e iniciaram a sua apresentação com “The Devil”s Rain”.

O público – que já estava empolgado com as canções do álbum mais recente da banda e de mesmo nome da música de abertura – veio abaixo com “Scream!”. A partir daí, o power trio engatou uma sequência de clássicos, o estopim para as rodinhas de pogo tomarem conta da pista do Circo Voador. E elas só pararam durante a introdução de “Some Kinda Hate”, quando boa parte da plateia começou a pular abraçada em frente ao palco.

Baixista e fundador dos Misfits, Jerry Only encarnou Darth Vader, com fala clássica do filme“Star Wars”: “I am your father (eu sou o pai de vocês)”. Desse jeito, ele anunciou a canção“Father” e levou o público ao delírio. Aliás, o músico esbanjou carisma e bom humor durante a apresentação. Ao ver um cartaz na plateia, Only interrompeu a programação original da banda e, de imediato, atendeu ao pedido de um fã com “Return Of The Fly”.

Porém, os agrados não pararam por aí. Antes de tocar “Skulls”, um dos maiores hinos da banda, o todo-poderoso dos Misfits, que assumiu os vocais do conjunto definitivamente em 2001, chamou um menino que estava na pista para o palco e dividiu o microfone com a criança. Ao fim da música, Only voltou a brincar: “É por isso que digo que sou o pai de vocês”.

Pela empolgação da plateia, pouco importava se Jerry Only não tinha a potência de voz de Glenn Danzig ou se não conseguia chegar às notas mais altas, como Michale Graves, ex-vocalistas da banda. O baixo absurdamente distorcido, tradição nos Misfits, e que muitas vezes abafava a guitarra de Dez Cadena, ditou o ritmo da apresentação até “We Are 138”, que foi cantada em uníssono pelo Circo Voador.

Fim do show? Ainda não. O trio voltou para o bis e, em pleno domingo de Páscoa, Only dedicou a canção “Descending Angel” a Jesus Cristo, mais uma vez em tom de ironia. Em meio aos clássicos que fecharam a apresentação, ainda coube um cover do Black Flag, “Thirsty And Miserable”, cantado por Dez Cadena, ex-integrante da lendária banda punk da Califórinia.

O encerramento apoteótico foi com “Halloween”, que transformou o Circo, mais uma vez, em uma imensa roda. Bom para os fãs e talvez um até breve para a banda, que veio ao Brasil três vezes nos últimos quatro anos.

Setlist:

1 – The Devil”s Rain
2 – Vivid Red
3 – Land Of The Dead
4 – Scream!
5 – Hybrid Moments
6 – Teenagers From Mars
7 – Attitude
8 – Some Kinda Hate
9 – Curse Of The Mummy”s Hand
10 – Dark Shadows
11 – Father
12 – Jack The Ripper
13 – Static Age
14 – TV Casualty
14 – She
15 – Dr. Phibes Rises Again
16 – 20 Eyes
17 – Angel Fuck
18 – Vampira
19 – Horror Business
20 – From Hell They Came
21 – American Psycho
22 – Shining
23 – Dig Up Her Bones
24 – Ghost Of Frankenstein
25 – Death Ray
26 – The Monkey”s Paw
27 – Return Of The Fly
28 – I Turned Into a Martian
29 – Skulls
30 – Where Eagles Dare
31 – Hatebreeders
32 – Horror Hotel
33 – Ghoul”s Night Out
34 – We Are 138
Bis:
35 – Descending Angel
36 – Helena
37 – Thirsty And Miserable
38 – Saturday Night
39 – Die, Die My Darling
40 – Halloween

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.