Metallica, Alice in Chains e Ghost BC esquentam o Rock in Rio dedicado ao dia do Metal

Por: Adriana Camargo

A segunda parte do Rock in Rio, nomeado Dia do Metal, a Cidade do Rock trouxe várias vertentes do heavy metal, passando desde o thrash metal do Metallica, o metal melódico da banda Almah, o “grunge” do Alice In Chains, e o metal terror da banda sueca de Ghost B.C. que remete uma atmosfera cênica inspirada em filmes de terror clássicos, com todos os integrantes caracterizados.

Sebastian Bach atrai multidões de fãs para o palco Sunset

sebastian-3

No palco Sunset, Sebastian Bach abriu o show com a pesada “Slave to the Grind” do Skid Row. O público já lotava a frente do palco Sunset para conferir essa apresentação. Na sequência outra porrada sonora“Kicking & Screaming”, faixa título do último Cd solo de Bach. “Dirty Power” veio em seguida, com Sebastian gritando menos. A galera agitou muito com o Tião nessa hora antes de “Here I Am”, quando ele arriscou algumas palavras em português. Depois Bach anunciou que ia tocar o primeiro som que gravou com o Skid Row e eles tocaram “Big Guns” e ele pediu para todo mundo pular com ele! A seguinte foi a pesada “Stuck Inside”, depois ele tocou o hit do Skid Row “Piece of Me” com os fãs cantando com ele, seguida pela balada clássica “18 and Life” também da sua antiga banda, que aos primeiros acordes a gritaria foi geral na cidade do rock. Considero esse o momento “master” do show!

Galeria de fotos do show do Metallica
Galeria de fotos do show do Alice in Chains
Galeria de fotos do show da banda Ghost
Fotos do show de Sebastian Bach

Depois ele tocou a pesada “American Metalhead” e pediu em português “Todo mundo pulando comigo” e foi atendido pelos fãs. A seguinte foi “Tunnel Vision” do álbum “Kicking & Screaming” e nessa hora ele falou os nomes das outras bandas que vão tocar ainda essa noite (Metallica, Sepultura, Alice in Chains, Rob Zombie). Veio outro hit do Skid Row “Monkey Business”. Para encerrar Bach tocou “I remember you” e cantou “Wasted Time” à capella já com os fogos do palco Mundo estourando. E encerrou o show com Youth Gonna Wild!

GHOST B.C FAZ O SEGUNDO SHOW DO PALCO MUNDO

ghost-7

Os integrantes do Ghost B.C fizeram a segunda apresentação no Palco Mundo após Sepultura. Eles tocam com capuzes e maquiagem e não revelam suas identidades, com um visual meio sinistro e até cruzes invertidas. Para a abertura do show eles tocaram a música ‘Infestissuman’.

O vocalista, que usa o pseudônimo Papa Emeritus II, falou com o público em português, dizendo “boa noite, Rio”. Ele se veste e usa acessórios que fazem referência ao papa inclusive usa até um cetro na mão! Papa Emeritus II faz como se estivesse comandando uma missa, canta até em latim!

O Ghost B.C. tocou ‘Prime mover’. Quando eles tocaram ‘Secular Haze’ o público ovacionou a banda. O cantor arriscou mais palavras em português durante o show dizendo “Finalmente chegamos aqui, ao Brasil. Juntem-se a nós agora em um ritual”, acrescentou.

Após a banda sair do palco, um dos músicos tocou teclados e os demais voltaram e executaram‘Ghuleh/Zombie queen’. O vocalista chamou o público para cantar juntos com eles. A apresentação deles me pareceu bem morna.

ALICE IN CHAINS FAZ SHOW DE CLÁSSICOS NO ROCK IN RIO

aliceinchains-9

Eles já começaram o show arregaçando com a clássica e pesada “Them Bones”. Jerry Cantrell fazendo seus solos de guitarra e soltando a voz. “Dam That River” foi a a segunda do setlist. O Alice in Chains está cada vez melhor no palco. O vocalista William Duvall está afinadíssimo!

“Check my Brain” e “Again” foram as próximas antes de outra clássica, “Man in the Box”. Nessa hora o público cantou junto com a banda. Os vocais de Duvall e Cantrell ficaram ótimos nessa música. Seguiram o setlist com a balada “Nutshell” quando William empunhou um violão e soltou a voz. A próxima foi “Rain When I Die” que começa com um solo de Jerry Cantrell e o belo vocal de Duvall.

Em seguida foi a vez de outra clássica “We Die Young”, que foi uma das músicas que projetou o Alice in Chains para o mundo. A 10ª do repertório foi “Stone” com Cantrell e Duvall fazendo dueto vodal. Afinadíssimos, por sinal. A próxima foi a balada “Down in a Hole”.

A penúltima do setlist foi a mais clássica de todas “Would” que eu cheguei a pensar que eles iam chamar James Hetfield do Metallica para cantar com eles, porque isso já aconteceu fora do Brasil, mas aqui, infelizmente, não rolou. Aos primeiros acordes a agitação do público foi notória.

Para encerrar esse grande show, claro outra clássica “Rooster”!

METALLICA FEZ UM DOS MELHORES SHOWS DO ROCK IN RIO 2013

metallica

O show do Metallica no Palco Mundo do Rock In Rio 2013 começou às 0h30 ao som da instrumental “Ecstasy of Gold” com imagens do filme de Clint Eastwood do telão. Logo depois a porrada sonora começou com “Hit the Lights”, seguida pela clássica “Master os Puppets” e a galera ficou eufórica nessa hora. O palco com o telão gigante de alta definição ajudava a ver os detalhes da banda. A terceira do setlist foi “Holier Than Thou”, com todo o seu peso e rapidez. James Hetfield falou que tinha sonhado em estar novamente no Rock in Rio e em seguida chamou a próxima música “Harverster of Sorrow”.

Todos eles pareciam estar muito animados em voltar ao Brasil, principalmente James e Kirk Hammet, que sorriam a todo momento.Logo em seguida teve um solo de guitarra de Kirk com direito até a um trecho da Marcha Imperial do filme “Star Wars”.

“The Day That Never Come” foi a quinta música do setlist, com uma excelente interpretação de Hetfield. Todo mundo estava gritando o nome “Metallica” nessa hora.
Em seguida eles tocaram “Memory Remains” do álbum ””Reload”” (1997), que na época foi mal visto pelos fãs, mas no Rock In Rio todo mundo cantou junto com eles o refrão “Lá Lá Lá…”. Nessa hora James parecia o maestro de todo esse povo. Foi fantástico!

Depois eles tocaram “Wherever I May Roam” com James empunhando a sua guitarra preta modelo Les Paul, com a cruz de malta. Na sequência teve um solo de baixo de Robert Trujillo que antecedeu outra clássica, a quase balada “Welcome Home Sanitarium” do álbum ””Master of Puppets””.

Mudando o clima, em seguida eles tocarama pesada “Sad But True”, com a bateria bem marcada de Lars Ulrich. A 10ª música do setlist foi “And Justice for All” com seus riffs inesquecíveis de guitarra.

Chegava a hora de uma das músicas mais esperadas da noite “One” que foi antecedida por efeitos pirotécnicos no palco. Um grande espetáculos de luzes e cores! E, claro, todo mundo cantou junto com James nessa hora. Em seguida veio “For Whom The Bell Tolls” do álbum Ride the Lightning com seu riffs poderosos vindos da guitarra de Hetfield.

A próxima foi “Blackened”, seguida pela balada “Nothing Else Matters”, com direito a uma introdução de guitarra de Kirk belíssima por sinal. Antes de tocar “Enter a Sandman”, James mostrou a sua palheta no telão e a gritaria foi geral. E ainda teve mais fogos de artifício no final da música. E a galera não parava de cantar e pular com eles. No final James ficou olhando a reação da plateia antes de sair do palco.

No bis eles tocaram “Creeping Death”, a pauleira total “Battery”, que fez abrir rodas de pogo no meio do público e James fez aquele suspense ameçando ir embora antes de tocar a mais clássica de todas, “Seek and Destroy” do primeiro álbum da banda o “Kill´m All”. Nessa hora caíram as bolas pretas gigantes com o símbolo da banda para os fãs. Com essa eles encerravam esse excelente show do Metallica. E já era 2h45 da madrugada!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário