Kaiser Chiefs aquece o dia dos namorados no 20° Cultura Inglesa Festival

Por: Daniele Baroni
Foto: Andréia Takaishi/Universodorock
Foto: Andréia Takaishi/Universodorock

O Cultura Inglesa Festival começou como uma iniciativa da Cultura Inglesa para promover um intercâmbio cultural entre o Brasil e o Reino Unido em São Paulo para alunos e funcionários com shows, apresentações de dança, peças de teatro etc. Desde sua 15ª edição, o festival se expandiu e abriu as portas para toda a cidade, o tornando parte de seu calendário de eventos.

Na 20ª edição, que rolou nesse último domingo no Memorial da América Latina, o festival começou com show da banda Staff Only, composta somente por professores da escola, tocando covers de músicas inglesas famosas. Em seguida, a banda autoral nacional Finger Hooks veio ao palco para preparar o pessoal que ainda chegava para as atrações que viriam: Nação Zumbi e Kaiser Chiefs.

No ano passado, o penúltimo show do evento ficou nas mãos da paraense Gaby Amarantos que fez uma homenagem às divas britânicas cantando covers com uma abordagem tecnobrega, o que funcionou de forma esplêndida. Para este ano, foi anunciado que a Nação Zumbi faria uma homenagem às suas influências britânicas com uma pegada manguebeat e muita gente esperou que a apresentação seria parecida com a do ano passado. Entretanto, para alegria dos fãs da banda pernambucana, o show fugiu um pouco da proposta e tocou muitas de suas próprias músicas, intercalando com covers de artistas britânicos, como The Specials, the Zombies, Beatles e David Bowie. Ainda assim, a galera se agitou mesmo quando a banda tocou as duas últimas músicas do show, que também eram seus hits mais famosos, “Maracatu Atômico” e “Quando a Maré Encher”.

Nação Zumbi - Foto: Andréia Takaishi/Universodorock
Nação Zumbi – Foto: Andréia Takaishi/Universodorock

Passava das 18h quando todos começaram a entrar e tentar ficar o mais perto possível do palco e o espaço do Memorial da América Latina começou a ficar apertado, o que, em retrospecto, não foi algo ruim, já que fazia um frio de 8 graus a céu aberto. Quando já não havia mais espaço para circular, os caras do Kaiser Chiefs sobem ao palco e já logo começam “Everyday I love you Less and Less” e, logo depois, o vocalista Ricky Wilson grita, em português, “Boa noite. Nós somos o Kaiser Chiefs”.

Por se tratar de um evento cultural gratuito, o público era muito variado, incluindo fãs das bandas, alunos e funcionários da Cultura Inglesa e curiosos. Notando isso, a banda se divertia ao ver que o público só conhecia os refrãos ou os lalalas das músicas, incentivando a galera a repetir o que já sabiam. Pouco depois, Wilson disse que sabia que era dia dos namorados naquele domingo e que dedicaria a música seguinte, a romântica “Parachute”, aos casais presentes.

O setlist incluiu singles como “I predict a riot”, “Never miss a beat”, “The Angry Mob”, que levou o público a cantar o final em unísono, e seu single mais famoso, “Ruby”, que empolgou todos os presentes, fazendo-os dançar e pular. A banda também incluiu em seu show um inusitado cover de “Pinball Wizard”, do The Who.

Toda a banda tentava se ater a somente tocar as músicas e não interagia muito com o público. Contudo, isso não fazia nenhuma diferença, uma vez que Ricky Wilson dava conta de toda a interação, mostrando ser um frontman de primeira linha. Wilson corria, dançava e pulava tanto que até precisou tirar a jaqueta embora todos na plateia tremessem de frio; subia na bateria, brincava com a câmera para interagir com o pessoal que só o enxergava pelo telão e constantemente agradecia e dizia quão feliz estava por estar ali. Durante “Take my Temperature”, Wilson desapareceu do palco e, então, surpreendeu a todos escalando o espaço da mesa de som bem no meio da plateia, levando a galera que estava mais longe do palco à loucura.

Foto: Andréia Takaishi/Universodorock
Foto: Andréia Takaishi/Universodorock

A primeira parte do show foi concluída com “Coming Home” e, pouco depois, Wilson retorna ao palco com uma bandeira do Brasil e diz que, a pedidos, a banda tocaria “Misery Company”. “Oh my God” foi a escolhida para encerrar a noite, mas Wilson mais uma vez surpreende o público dizendo que o tempo deles havia acabado, mas que eles encaixariam mais uma música no meio. Então, com um trecho de “Na Na Na Na Naa” terminado, “Oh my God” é concluída e a noite é encerrada.

O frio pode não ter ajudado muito, mas o evento parece ficar mais completo e organizado a cada ano. Não à toa, os ingressos para a edição deste ano esgotaram em 2 dias. Se continuar assim, o Memorial da América Latina poderá não comportar o evento no futuro. E isso não é uma reclamação.

Setlist
1.    Everyday I Love You Less and Less
2.    Ruffians on Parade
3.    Everything is Average Nowadays
4.    Little Shocks
5.    Parachute
6.    Never Miss a Beat
7.    Modern Way
8.    Cannons
9.    Hole in My Soul
10.    Ruby
11.    Take my Temperature
12.    The Angry Mob
13.    I Predict a Riot
14.    Pinball Wizard (The Who cover)
15.    Coming Home
Encore
16.    Misery Company
17.    Oh My God (com trecho de “Na Na Na Na Naa”)

VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.