Jota Quest presenteia fãs com apresentação recheada de sucessos no Rio

Por: Danielle Barbosa
Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock
Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock

O quinteto mineiro trouxe a turnê ‘Pancadélico’ para a capital carioca.

O Jota Quest, grupo de pop rock de Belo Horizonte composto por Rogério Flausino (voz e violão), Marco Túlio (guitarra), PJ (baixo), Paulinho Fonseca (bateria) e Márcio Buzelin (teclado), fez no último sábado (29) seu retorno ao Rio de Janeiro em grande estilo e com uma casa cheia à sua espera. Em mais de 20 anos de carreira, a banda já lançou oito álbuns de estúdio – sendo o “Pancadélico” (2015) o último trabalho dos rapazes e que nomeia a turnê atual – e foi duas vezes vencedora do Grammy Latino, em 2011 e 2013. Não tinha como faltar repertório, portanto, com grandes hits para compor a setlist e embalar o público na noite de um sábado de ânimos tensos, por ser véspera do segundo turno das eleições em diversas cidades ao redor do país.

Marcada para as 22h30, a apresentação teve um considerável atraso – cerca de 40 minutos – mas logo que começou, foi uma verdadeira festa e sintonia entre artistas e fãs. A composição da casa foi um pouco diferente do que é normal para um show de pop/rock: muitas mesas espalhadas pelo salão, uma área reservada à pista em pé e os camarotes. Segundo Flausino, era a primeira vez que eles tocavam para uma plateia sentada e que estava nervoso por não saber como seria a troca de energia, já que as músicas do Jota Quest são empolgantes o suficiente para dançar e pular.

“Bora dar um relax, Rio”, convidou o vocalista logo após a música de abertura da noite, “Fácil pra Ninguém”. Com um visual despojado e fisionomia relaxada, o líder do Jota Quest conduziu a noite com muita energia e inteligência, mesclando hits de outros discos com músicas do novo álbum. “Mandou Bem”, “Na Moral” e “Tempos Modernos” (versão alternativa à canção original de Lulu Santos) foram tão empolgantes que o público não se conteve em suas cadeiras e teve de levantar para se mexer, bater palmas e cantar junto a letra, que estava na ponta da língua.

A ‘vibe’ foi incrível do início ao fim, assim como a iluminação. Sincronizada com moving lights, sofisticada e com variedade de tonalidades que iam se adaptando de acordo com a intensidade da música. Tudo no seu devido lugar e com uma produção impecável para tornar a experiência daqueles que se deslocaram até o espetáculo e curtem a banda, a melhor possível. A sintonia entre os membros da banda é bem evidente, afinal são muitos anos de estrada juntos. Em vários momentos, Flausino e Marco Túlio dividiram as atenções nos solos estendidos e dancinhas cheias de suingue.

Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock
Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock

“Obrigado por virem nessa noite tão especial!”, agradeceu Flausino, dizendo que a primeira vez que eles haviam tocado na casa tinha sido em 1996 e que na ocasião o Jota Quest tinha sido a banda de abertura do show dos – também mineiros – do Skank. Sem se alongar muito na história, o cantor convidou o americano Jerry Barnes, atual produtor do grupo, para as duas próximas músicas: a cheia de groove “Blecaute” e a levada gostosa de “Reggae Town”. A primeira, que conta com a parceria da cantora Anitta na versão de estúdio, teve um coro de vozes como backing vocals de Rogério Flausino. Já na segunda, as luzes fizeram a diferença: o palco se iluminou de verde, amarelo e vermelho, cores tradicionais do reggae.

Passados cerca de 30 minutos e as pessoas ainda não tinham conseguido sentar em suas cadeiras. “Podem sentar se vocês quiserem”, brincou Flausino antes da sequência um pouco mais lenta e reflexiva que veio com “Dias Melhores”, “Mais Uma Vez e “Carta de Amor”. No violão do artista, uma frase que chamou atenção: “Os amores impossíveis são os que duram mais”.

Para dar uma ‘quebrada’ nesse ritmo mais introspectivo, a banda veio com “Um dia pra não se esquecer” – que tem parceria originalmente com o rapper Projota – e “O Sol”, com longos trechos cantados pelos fãs e sem a interferência de Flausino. “A galera do Rio ‘tá’ feliz? Aqui no palco a galera ta feliz! Energia positiva, um salve pra todo mundo presente! Quero todos de pé, a próxima música é pra curtir”, introduziu o cantor a uma das canções mais celebradas da noite, a versão de “Além do Horizonte”, de Roberto Carlos. Entre palmas e aplausos, que se abafaram tamanho era o barulho dentro do Metropolitan, os músicos souberam aproveitar a atmosfera contagiante pra pular e dar tudo de si .

Nesse cenário de empolgação, o gancho para dois sons alucinantes: “De volta ao Planeta” e um pequeno trecho de “Homem Primata”, dos titãs. À essa altura da apresentação, todos já estavam de pé e envolvidos com cada ação dos músicos no palco. O groove do baixo na intro em “De volta ao Planeta” marcou o ritmo das palmas e pulos da galera. “Uh uh, é Jota Quest!”, todos repetiram antes da pausa clássica para o bis.

Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock
Foto: Ana Clara Carvalho/Universodorock

A empolgação foi 110% na maior parte do tempo, mas há que se enaltecer os momentos em que o romantismo foi destaque. Nada mais justo, afinal as composições dos mineiros tratam de temáticas que envolvem o amor com certa frequência e, portanto, os casais sairiam insatisfeitos se não ouvissem canções como “Só Hoje”, “Dentro de Um Abraço”, “Daqui só se leva o amor” e “Amor Maior”. Dito e feito. Amigos, casais, familiares, não importa. Todos se abraçaram, emocionaram e trocaram carinhos embalados pelo som suave e letras apaixonantes. Até quem não estava ali foi lembrado, dado a quantidade de pessoas enviando mensagens e gravando áudios pelo celular. “Amor que coloca a gente no eixo. Amor maior. É amor pra caralh*e a gente ‘tá’ muito feliz. A cada show, a cada conquista. Eu queria agradecer a família Jota Quest que roda esse Brasil há um tempão. Muito obrigado pelo amor de vocês, o amor de quem veio hoje. A gente sai melhor do que entrou.”, se derreteu Flausino. O amor ficou no ar e a sensação foi super gostosa!

Pra fechar a noite com o astral bem no alto, como é característico das performances do Jota Quest no palco, “Do Seu Lado” – composição de Nando Reis e interpretada com propriedade por Flausino – pôs todo mundo pra dançar, fazendo com que tanto público como banda dessem o último gás que tinha restado e fizessem a noite ser memorável!

Setlist:
1. Fácil pra ninguém
2. Mandou Bem
3. Na Moral
4. Tempos Modernos
5. Mares do Sul
6. Encontrar Alguém
7. Blecaute
8. Reggae Town
9. Dias Melhores
10. Mais Uma Vez
11. Um Dia para não se esquecer (sunrise)
12. Carta de Amor
13. O Sol
14. Além Do Horizonte
15. Só Hoje
16. Dentro de Um Abraço
17. De Volta ao Planeta +  Eu quero é ser feliz (trecho)
18. Homem Primata (trecho Titãs)
BIS:
19. Fácil (acústico)
20. Daqui só se leva o amor
21. Amor Maior
22. Do Seu Lado
23. Blecaute Brabo Remix feat. Rico Dalasam


VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.