Jake Bugg contagia jovens com carisma e show dinâmico

Por: Danielle Barbosa
Foto: Danielle Barbosa

Britânico de apenas 23 anos distribuiu sorrisos e muito amor para o público.

A última sexta-feira (10) foi um dia de muito amor e emoção no Circo Voador, casa de shows localizada na Lapa, Rio de Janeiro. De volta ao Brasil após passagem pelo país em 2014 – quando participou do Lollapalooza – , o cantor de indie/folk rock Jake Bugg fez a alegria do público ao demonstrar muita desenvoltura, fluidez e carisma (!!) durante a 1h20 que se apresentou para os cariocas.

O músico, apesar de jovem, já tem certa bagagem na estrada: desde os 17 anos de idade, quando foi escolhido pela BBC para se apresentar no famoso Festival de Glastonbury, na Inglaterra. Desde então, já foram três álbuns de estúdio lançados (2012, 2013 e 2016) e um EP (2014), diversas nomeações para premiações e “Lightning Bolt”, uma de suas composições mais populares, fez parte das Olimpíadas de Londres de 2012. O jeito “blasé” e reservado tipicamente britânico são características de Jake, que pouco fala e interage durante os shows.

Mas na turnê brasileira do álbum “On My One” (2016), ele surpreendeu e agradou bastante ao se apresentar com uma empolgação e extroversão incomuns à sua personalidade. Talvez tenha sido uma forma de retribuir o carinho dos brasileiros – em sua maioria jovens de faixa etária até os 25 anos -, que formaram longas filas frente aos locais de show para prestigiar e curtir a noite com o artista.

Pontualmente às 23h, Jake subiu ao palco ao som de “On My One”, abertura de seu mais recente trabalho. “Muito obrigado Rio, eu amo vocês”, se declarou, levando principalmente as meninas a um frenesi. O talentoso menino de Nottingham, cidade da lenda do herói mítico Robin Hood, se divertiu e compartilhou um momento mais intimista com os fãs nas quatro primeiras músicas da setlist, que também incluiu a apaixonante “The Love We’re Hoping For” e as celebradas “Country Song” e “Simple As This”. Somente o cantor iluminado por um refletor e com um violão na mão, a plateia, celulares no ar e muitos coros de vozes emocionadas e palmas. Por não haver “pitch” para fotógrafos ou imprensa, poucos centímetros separavam o inglês do público.

O restante da apresentação aconteceu quase que em sua totalidade com a participação da banda, dando mais um ar de “baladinha rock” cheia de solos de guitarra pro show. Os hits do passado “Two Fingers”, “Seen It All”, “Messed Up Kids”, “Trouble Town” e “Slumville Sunrise” foram as que mais contagiaram a atmosfera do show, desencadeando aplausos, pulos e ‘dancinhas’ despreocupadas por parte das pessoas. Para quem estava de longe, parecia realmente uma festa entre amigos: todos estavam muito relaxados e à vontade, especialmente Jake, que parece ter se adaptado bem ao clima mais festivo e menos introspectivo do Brasil.

Não poderia faltar, contudo, os singles românticos que fizeram o rapaz de 23 anos ser o “queridinho” entre os apaixonados, adolescentes e meninas. “Love, Hope and Misery”, “Me and You” e “Never Wanna Dance” espalharam amor pelo local e transformaram o clima de agitado para um de total romantismo por alguns minutos. Enquanto as músicas rolavam, casais se abraçavam e aproveitavam para cantar trocando carícias e declarações. “É bom estar de volta, Rio!”, se expressou Jake, incorporando o espírito amoroso. Uma fofura só!

Mesmo que a tradição de pouco falar do britânico tenha persistido, as dezenas de agradecimentos, distribuição de sorrisos e presença de palco supriram a necessidade de verbalizar o que sentira ou manter longos diálogos com o público. A precisão nos vocais (extremamente peculiares e originais do músico) e sutileza com que conduziu o show foram os pontos altos e que colocam Jake definitivamente dentre os grandes artistas da nova geração do estilo.

Para a parte final da apresentação, foi guardado o que tinha de melhor. “Simple Pleasures”, pessoalmente uma de minhas favoritas e com a linha melódica mais profunda dentre as outras canções executadas na noite, foi de uma vibe tão impressionante que as pessoas chegaram a interromper Jake para aplaudi-lo no meio da música. “Broken”, por sua vez, não ficou atrás. O sucesso, que é só elogio dentre os críticos, ganhou uma versão acústica linda de se ver ao vivo!

Novamente sozinho no palco, o inglês comandou um coro de vozes nos refrões e deu tudo de si para os fãs, que retribuíram com uma ovação de pé. O êxtase que perdurou até o fim, que veio com “Lightning Bolt”, faixa que introduz o álbum de estreia – lançado em 2012, autointitulado. “Obrigada por virem hoje e serem incríveis. É um prazer vir para a cidade de vocês tocar”, se derreteu o grande jovem músico.
Os brasileiros é que agradecem, Jake! <3

Setlist
Acústico solo:
1. On My One
2. The Love We’re Hoping For
3. Country Song
4. Simple As This
Com a banda:
5. Two Fingers
6. Bitter Salt
7. Seen It All
8. Love, Hope and Misery
9. Me and You
10. Messed Up Kids
11. Never Wanna Dance
12. Trouble Town
13. Put Out the Fire
14. Kingpin
15. There’s a Beast and We All Feed It
16. Taste It
17. Slumville Sunrise
18. Simple Pleasures
19. Gimme the Love
20. Broken (Solo Acoustic)
21. Lightning Bolt

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário