Glenn Hughes lota Odisseia e agita fãs cariocas enlouquecidos

Por: Gustavo Franchini

Foto: Brenda Caroline
Foto: Brenda Caroline

Em turnê pela América do sul, a lenda do rock Glenn Hughes, conhecido (merecidamente) como “A Voz do Rock”, nos presenteia com uma passagem pela cidade maravilhosa, em uma casa de shows lotada. Acompanhado do magnífico guitarrista Doug Aldrich, que já tocou com ninguém menos do que Dio e também parceiro de David Coverdale no Whitesnake, além do baterista Pontus Engborg, outro destaque do power trio, o baixista/vocalista que ficou famoso pela sua breve (porém, impactante) carreira no Deep Purple faz a alegria dos fãs cariocas.

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO SHOW

Com um setlist que passeia pela carreira solo, projetos (Black Country Communion), seu trabalho no Trapeze, covers e, claro, músicas da banda mencionada acima, o maestro Glenn Hughes rege um espetáculo digno de aplausos. Contando com a participação de um público bastante empolgado, interagindo a todo momento, nos intervalos entre as canções e seus clássicos interludes vocais, o britânico completa 64 anos em ótima forma. Sim, performance fora do normal (ainda mais considerando sua idade), sem medo de arriscar notas altas e as executando com maestria, ou seja, algo já esperado por parte de quem já teve a honra de prestigiá-lo ao vivo.

Ficou claro que a cozinha atual da banda de Glenn Hughes é a ideal, na qual ele se sente mais à vontade, pois era visível a sintonia entre todos, algo bonito de se ver (e ouvir). Entrosamento, brincadeiras, sorrisos e uma noite de verdadeiro louvor ao rock. Músicas como a maravilhosa “Stormbringer”, do álbum homônimo de 1974, que introduziu o show com classe, e a presença certa de “Mistreated”, ambas do Deep Purple, fizeram a plateia ir à loucura. Uma homenagem surpreendente ao Whitesnake com “Good To Be Bad”, solos de Aldrich e Engborg de caírem o queixo e palavras de amor ao nosso país por parte de Hughes; só restou mesmo fechar com chave de ouro com o hit “Burn”. Check!

Apesar da curta duração do show, com aproximadamente 1h e 30min, somado ao fato de que o Teatro Odisseia não era o local mais indicado para o porte do evento, o que atrapalhou bastante a visibilidade do palco e conforto dos presentes (e também dos artistas), com certeza o momento ficará registrado na memória de todos, que já aguardam ansiosamente pela próxima apresentação da Voz do Rock por aqui, conforme prometido pelo mesmo, no ano que vem. Long Live Mr. Hughes!

SETLIST GLENN HUGHES
1 – Stormbringer
2 – Orion
3 – Way Back to the Bone
4 – Sail Away
5 – Touch My Life
6 – One Last Soul
7 – Solo de guitarra (Doug Aldrich)
8 – Mistreated
9 – Good To Be Bad
10 – Can´t Stop the Flood
11 – Drum Solo (Pontus Engborg)
12 – Soul Mover
BIS
13 – Burn

* Veja a galeria de fotos da apresentação de Glenn Hughes no Rio de Janeiro

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário