Dream Theater apresenta ópera rock para os fãs no RJ

Por: Gustavo Franchini
Foto: Bre Helvetia/Universodorock
Foto: Bre Helvetia/Universodorock

Com uma carreira sólida na cena do metal progressivo, que se estabeleceu através de três décadas lançando álbuns que se tornaram clássicos e outros de ótima qualidade musical, o Dream Theater consegue ainda surpreender os fãs ao anunciar uma turnê do novo lançamento, o conceitual The Astonishing (2016), em formato de ópera rock, com o público sentado durante a apresentação, ou melhor, espetáculo.

A produção de palco, sem sombra de dúvidas, foi a melhor já criada pelo quinteto, com direito a telões que trabalhavam em prol da história presente no álbum, com efeitos e gráficos de muito bom gosto, somado ao fato de que a iluminação se conectava a cada um dos momentos das músicas, criando um clima que nos remete ao teatro. Em quase 3 horas de duração, o setlist se resume ao álbum tocado na íntegra, com direito a todos os interludes do compacto.

De fato, o show foi bem diferente de todos os outros da banda, o que acertou em cheio o gosto de muitos da plateia, porém desagradou os que preferiam estar em pé e/ou que fossem também executadas algumas músicas da vasta discografia do Dream Theater, como os hits “Pull Me Under”, “Metropolis Pt. 1: The Miracle and the Sleeper”, “The Mirror”, “The Dance of Eternity”, dentre muitos outros. Quem já é veterano nas passagens deles pelo país conseguiu enxergar tal audácia como uma novidade interessante, bem trabalhada.

Foto: Bre Helvetia/Universodorock
Foto: Bre Helvetia/Universodorock

Se tem um destaque certeiro da noite, com certeza vai para a performance da banda, como um todo. Todos os integrantes foram fantásticos no palco, além do som da casa estar excelente. Jordan Rudess, “o mago” dos teclados, demonstra estar em forma aos seus 61 anos de idade, impecável em todos os momentos. Para a minha surpresa, o vocalista James LaBrie alcança todas as notas altas com maestria, deixando os presentes boquiabertos com sua interpretação de qualidade. Mike Mangini, com seu intrínseco carisma e pegada digna dos grandes bateristas, deu um show à parte. Já John Myung, maravilhoso como sempre, deixa claro ali o motivo de ser referência para tantos baixistas. E John Petrucci é simplesmente brilhante; não à toa considerado um dos maiores guitarristas do mundo. Que time!

Agora nos resta aguardar pela próxima festa que o Dream Theater irá promover, já que estão com 30 anos de estrada e para comemorar, quem sabe, os presenteados serão os fãs.

Setlist:
Ato 1
1 – Descent of the Nomacs
2 – Dystopian Overture
3 – The Gift of Music
4 – The Answer
5 – A Better Life
6 – Lord Nafaryus
7 – A Savior in the Square
8 – When Your Time Has Come
9 – Act of Faythe
10 – Three Days
11 – The Hovering Sojourn
12 – Brother, Can You Hear Me?
13 – A Life Left Behind
14 – Ravenskill
15 – Chosen
16 – A Tempting Offer
17 – Digital Discord
18 – The X Aspect
19 – A New Beginning
20 – The Road to Revolution
Ato 2
21 – 2285 Entr´acte
22 – Moment of Betrayal
23 – Heaven´s Cove
24 – Begin Again
25 – The Path That Divides
26 – Machine Chatter
27 – The Walking Shadow
28 – My Last Farewell
29 – Losing Faythe
30 – Whispers on the Wind
31 – Hymn of a Thousand Voices
32 – Our New World
BIS
33 – Power Down
34 – Astonishing/ Outro

VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.