Diversidade de estilos e cancelamento do show do Motorhead marcam o primeiro dia do Monsters of Rock

Por: Marcia Ito

Ontem, dia 25 de abril de 2015, na Arena Anhembi (São Paulo) houve a primeira noite da 6ª edição do Festival Monsters of Rock no Brasil. Com 21 anos de existência no país, pode-se notar uma grande evolução de estrutura com o passar do tempo. Este ano, ele está ainda mais completo, com um galpão de rock cheio de stands de artigos do gênero, uma área gourmet e muitas opções de comida e bebida! No entanto, as filas também cresceram já que as pessoas demoravam cerca de duas horas para passar pelo portão de entrada. Mesmo assim, nada desanimou os milhares de roqueiros que foram prestigiar os Monstros do Rock.

Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock
Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock

Ozzy Osbourne encerrou o primeiro dia de festival com seu show clássico sem grandes surpresas, mas com uma receita infalível: a mistura de hits de sua carreira solo e do Black Sabbath.

De princípio, já foram três clássicos, “Bark at the Moon”, “Mr. Crowley” e “I Don”t Know”, seguidas por “Fairies Wear Boots”, do Sabbath.

O pai do heavy metal brincou muito com o público, jogando um jato de espuma, que inclusive ensopou todos os fotógrafos que estavam trabalhando no local.

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO FESTIVAL

O espetáculo seguiu com “Suicide Solution” , “Road to Nowhere” e após palmas pedidas pelo vocalista, começaram a tocar “War Pigs”. Com o início da chuva, foi a vez de “Shot in the dark” e “Rat Salad” com solo de guitarra de Gus G. e bateria de Tommy Clufetos.

Mas o melhor estava no fim com “Iron Man”, “I Don”t Wanna Change The World”, “Crazy Train” que fez todos pularem após o seu anúncio. Houve então uma primeira pausa e o público pediu “One more song!” (mais uma música) a pedido do frontman , encerrando muito bem com “Paranoid”.

Judas Priest

Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock
Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock

Assim como Ozzy, Judas Priest fez uma apresentação longa devido o cancelamento do show do Motorhead. O Special Guest (Convidado especial) do MOR 2015 já entrou no palco tocando “Dragonaut” e “Metal Gods”. Com um repertório mesclado de músicas recentes e diversos hits, todos os fãs ficaram felizes. Do último álbum “Redeemer of Souls” , lançado em 2014, tocaram ainda a faixa-título e “Halls of Valhalla”. Porém, o que empolgou mesmo foram os clássicos que todos estavam esperando, a começar por “Love Bites”, “Jawbreaker”, “Breaking the Law” e “Hell Bent for Leather” em que Rob Halford (vocal) surgiu no palco pilotando a sua moto Harley Davidson.

Havia ainda muito mais por vir, como por exemplo, toda a Arena gritando: “Olê Olê Olê Olá, Judas, Judas!!”. Após este primeiro intervalo, tocaram “Eletric Eye” com Halford pedindo para o público repetir diversas vezes: “Ié, Ié, Ié Ió” e depois seguiram com “Yo’ve Got Another Thing Comin” que contou com um solo de guitarra no meio da canção.

O vocal perguntou: “O que vocês querem ouvir?” E claro que a solicitação foi atendida com “Painkiller”, que fez todos pularem e baterem cabeça. E para finalizar, encerraram com “Living After Midnight”.

Inicio: Vaias, abandono e Cancelamento

BVB_FranciscoCepeda-agnews01

Antes das duas grandes atrações da noite, ao meio-dia, a banda De la Tierra abriu o Festival ainda sem grande público, já que muitos ainda aguardavam na fila extensa do lado de fora. Porém, os que tiveram a “sorte” de entrar cedo, puderam conferir um ótimo show, especialmente quando tocaram o cover da banda brasileira Titãs com “Polícia”, emendando com “San Asesino”. O vocalista Andrés Gimenez agradeceu o respeito do público e disse que é muito importante para eles tocarem em um festival do porte do MOR. Andreas Kisser (guitarra) também agradeceu e disse estar orgulhoso de ser a única banda latino-americana do festival. Sem dúvidas, este quarteto de apenas um ano e meio de formação e com um único disco lançado, vai dar o que falar nos próximos anos no meio metal.

Em seguida, foi a vez da banda de power metal alemã, Primal Fear. Com sua voz impecável, Ralf Scheepers empolgou o público com “When Death Comes Knocking”. Já Aquiles Priester, com sua tradicional bateria de polvo, destruiu tudo em “Angel in Black”. Emendaram com a primeira música que compuseram juntos em 1997, “Chainbreaker”.

O vocalista perguntou à platéia: “Vocês gostam de Metal?” e a resposta, claro, foi: “Yeeaaah!” e em seguida ele dedicou: “Então, esta música é para vocês” e começou a tocar “Metal is Forever”, terminando com “Running in the Dust”.

Coal Chamber entrou no palco do MOR para tocar seu new metal com um visual que vale destaque! Todos integrantes com rostos pintados e estilizados, o quarteto tocou músicas de todos os álbuns lançados como “Clock”, “Drove”, Not Living”, “Dark Days” e “I”, bem como a “Rivals”, faixa título do próximo disco a ser lançado ainda este ano.

Não se pode deixar de mencionar a única mulher a tocar nesta edição: a baixista Nadja Peulen, que com seus longos cabelos vermelhos encantou o público masculino, principalmente.
O vocal Dez Fafara perguntou aos presentes se estavam prontos para as próximas bandas como Judas Priest e a banda favorita dele Motorhead e o “the King of the World” Ozzy Osbourne e , com o coro dos fãs, a banda terminou o show com a música que mais agradou: “Sway”.

Pela primeira vez no Brasil, o Rival Sons foi talvez a grande novidade da noite. Com um som setentista, o vocalista Jay Buchanan logo avisou que eles vieram aqui para tocar rock and roll. Destaque ficou por conta de “Torture” em que o público continuou cantando “Ooh, ooh, ooh” após o término da mesma até os primeiros acordes de “Tell me Something”, que foi seguida por um solo de guitarra de Scott Holiday. Tocaram ainda a linda canção do novo álbum lançado em 2014 (Great Western Valkyrie), chamada “Where I’ve Been”. E com “Keep On Swinging” encerraram a apresentação agradecendo em português: “São Paulo, Obrigadoooo!”

No final da tarde foi a vez do Black Veil Brides que, com seu visual espalhafatoso, não agradou a maioria dos headbangers desrespeitosos que vaiavam e pediam pela banda que tocaria a seguir, o Motorhead. Mesmo assim, o vocalista-modelo Andy Biersack agradecia a todo momento, enfatizando estar feliz pela chance de estarem alí e ainda, pediu desculpas se isso ofendia alguns presentes. Dentre as músicas do curto set list estão: “Coffin”, “Wretched and Divine”, “Fallen Angels” e encerrando com “In the End”.

Presente: Sepultura e Motorhead

Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock
Foto: Camila Cara/Monsters Of Rock

Enquanto aguardávamos a próxima banda, fomos informados na sala de imprensa que oMotorhead não iria mais tocar porque seu vocalista “Lemmy” foi acometido, nesta manhã, com um sério distúrbio gástrico, seguido de uma forte desidratação. Ele já foi submetido a exames e também medicado, mas por ordens médicas , não pode se apresentar. Assim, em seu lugar, o público teve a chance de assistir uma jam session especial dos outros dois integrantes do Motorhead (o guitarrista Phil Campbell e o baterista Mikkey Dee) com Andreas Kisser, Derrick Green e Paulo Xisto do Sepultura, que tocaram os maiores clássicos: “Orgasmatron”, “Ace of Spades” e “Overkill”, esta última com Andreas Kisser no vocal.

Conclusão

Pode-se dizer que a primeira noite do Monster of Rock 2015 foi bem diversificada em relação aos estilos de heavy metal, o que deixou a todos, ainda mais ansiosos para os shows de hoje, dia 26 de abril, com a presença de bandas Kiss, Judas Priest, Manowar, Accept, Unisonic, Yngwie Malmsteen e Steel Panther. Vamos conferir!!!

_

Set List da Jam Session – Motorhead e Sepultura
01. Orgasmatron
02. Ace of Spades
03. Overkill

Set List do Judas Priest
01. Dragonaut
02. Metal Gods
03. Devil”s Child
04. Victim of Changes
05. Halls of Valhalla
06. Love Bites
07. Turbo Lover
08. Redeemer of Souls
09. Jawbreaker
10. Breaking the Law
11. Hell Bent for Leather
12. Electric Eye
13. You”ve Got Another Thing Comin”
14. Painkiller
15. Living After Midnight

Set list do Ozzy Osbourne:
01. Bark at the Moon
02. Mr. Crowley
03. I Don”t Know
04. Fairies Wear Boots
05. Suicide Solution
06. Road to Nowhere
07. War Pigs
08. Shot in the Dark
09. Rat Salad (com Solo de guitarra e Solo de bateria)
10. Iron Man
11. I Don”t Wanna Change The World
12. Paranoid

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário