Bon Jovi faz apresentação vigorosa no festival São Paulo Trip

Por Renata Penteado
Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O Allianz Parque recebeu na noite do último sábado (23) mais um show esperado pelo público do São Paulo Trip.  Bon Jovi e The Kills também aproveitaram a vinda para o Rock in Rio e fizeram uma passagem gloriosa pela capital paulista.O Allianz Parque recebeu na noite do último sábado (23) mais um show esperado pelo público do São Paulo Trip.

Ao The Kills, recaiu a difícil missão de abrir o show do quinteto de New Jersey. Mais próxima ao gênero indie, a banda se enquadraria melhor em um festival como o Lollapalooza, ao invés de tocar antes de um conjunto Hard Rock, com fãs super fiéis.

No palco com 15 minutos antes do horário esperado, o The Kills já encontrou o Allianz Parque com sua capacidade praticamente tomada, afinal de contas, esta foi a única das quatro noites do Festival com os ingressos esgotados. Além de ser um dos shows mais da Trip, o fato da data cair num sábado também ajudou.

Formado em 2003 pela cantora americana Alison Mosshart e pelo guitarrista inglês Jamie Hince, o dueto fez sua apresentação exatamente como no Rock in Rio dois dias antes (ainda que, lá, o set tenha tido quatro músicas a mais). O público paulistano não se mostrou empolgado. Já para a atração principal, o Bon Jovi, em turnê de divulgação de This House Is Not For Sale, o cenário era outro.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Quem assistiu ao show do Bon Jovi no Rock in Rio constatou que a voz do Jon não é a mesma de outrora, mas, mesmo assim, há de se admitir que o vocalista não deixa a peteca cair. Se no Rio ele se poupou ao máximo e ficou quase o show inteiro parado no mesmo lugar (e quem conhece o Bon Jovi sabe que isso não é habitual), o que aconteceu em São Paulo foi um presente para os fãs, pois Jon correu pelo palco a apresentação toda e sua voz pareceu estar bem mais afiada ao apresentar músicas diferentes das que tocaram no festival carioca. A banda estava tão bem entrosada que por momentos parecia não faltar nada.

Em “Raise Your Hands” era absurdo ver tantas mãos para cima e gente pulando com o hit do álbum “Slippery When Wet”. Logo, Jon pegou seu violão e embalou o público com “Lost Highway”. Com seu sorriso que encanta a todos, o famoso “Don Juan” arrancou suspiros, principalmente das meninas da frente da Pista Premium. Em “Have A Nice Day”, o guitarrista Phil X fez seu show particular solando de forma ímpar. Durante a apresentação, Jon disse que aquele era o 40º show que estavam fazendo na atual turnê e prometeu voltar ao Brasil no ano que vem. Continuou interagindo com os fãs ao perguntar quem havia visto o show do Rock in Rio na véspera e levou todos ao delírio ao garantir que a noite em São Paulo seria muito melhor, engatando “You Give Love A Bad Name” para provar que não estava brincando.

Em “Born To Be My Baby”, Jon pulou, dançou por todos os lados do palco e ficou evidente que todos os integrantes estavam muito felizes. É difícil explicar, depois das dificuldades pelas quais a banda passou nos últimos anos, como estavam reestruturados e fazendo uma apresentação digna de quem tem anos de estrada, experiência de palco e um público fiel. Já em “Lay Your Hands On Me”, Jon desceu de onde estava e foi cumprimentar a todos e tirar selfies com alguns felizardos colados na grade. Então uma fã foi escolhida para subir ao palco, dançando com o vocalista durante toda a apresentação de “Bed Of Roses”, caracterizando o sonho de muita gente ali presente, mas com apenas uma sortuda a ganhar os beijos e a dança.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O show teve um momento importante e emocionante quando Jon mencionou o tempo em que cada membro já estava integrado à banda, pois, apesar de alguns não estarem sob os holofotes, marcavam presença ali. Seguindo a ordem: em primeiro lugar, Tico Torres, na bateria; na percussão, Everett Bradley; Hugh McDonald, que já tocava baixo antes de Alec John Such se tornar membro oficial e de o Bon Jovi ser uma banda; diretamente do Canadá e conquistando seu espaço, Phil X (a quem Jon disse que será o guitarrista da banda para sempre, fazendo-o arregalar os olhos com a afirmação); nos teclados desde a época da escola, seu “amigo que nunca envelhece”, David Bryan; e, por último, fazendo uma brincadeira como se houvesse esquecido, Jon disse que John Shanks era o seu alter ego e vinha produzindo os álbuns com o grupo desde Have A Nice Day.

O vocalista também citou que na última passagem do conjunto pelo Brasil, na qual fez o mesmo roteiro (Rock in Rio, Porto Alegre e São Paulo), tiveram problemas para os shows com as ausências de Richie Sambora e de Tico Torres, que havia ficado doente. E foi com maracas em suas mãos que Keep The Faith foi tocada, fazendo com que todos pulassem e cantassem como se estivessem voltando no tempo, com David executando seus teclados de forma mágica. E com os dois guitarristas e o baixista indo à frente para dar um bye para a galera, a apresentação já estava chegando ao fim.

Para o bis, com tantos celulares registrando tudo hoje em dia, é praticamente impossível alguém ter a exclusividade de algum momento. Se juntadas todas as filmagens, com certeza teríamos o show inteiro. Este comportamento excessivo do público foi criticado por Ian Asbury, vocalista do The Cult, em sua passagem pelo mesmo festival, dois dias antes. Porém, em “Living On A Prayer”, Jon não ligou para nada disso e pediu iluminação porque ele queria ver as pessoas. Embora não alcançasse as notas exigidas, os fãs deram uma força e cantaram em coro. Porque cantar “We give it a … – oh oh – Living on a prayer”, ao vivo, é uma honra!

Ao final, após “These Days”, todos os membros da banda se abraçaram, deram as mãos e foram até a frente do palco agradecer ao público. Com uma bandeira do Brasil nas costas, Jon se despediu com a certeza de ter entregue aos fãs um espetáculo que sempre agradou e deixou gosto de quero mais.

Setlist – The Kills
01) Heart Of A Dog
02) Kissy Kissy
03) Hard Habit To Break
04) Baby Says
05) Echo Home
06) Pots and Pans
07) Monkey 23

Setlist – Bon Jovi
01) This House Is Not For Sale
02) Raise Your Hands
03) Knockout
04) You Give Love A Bad Name
05) Born To Be My Baby
06) Lost Highway
07) We Weren’t Born To Follow
08) Lay Your Hands On Me
09) In These Arms
10) New Year’s Day
11) (You Want To) Make A Memory
12) Bed Of Roses
13) It’s My Life
14) Someday I’ll Be Saturday Night
15) Wanted Dead Or Alive
16) I’ll Sleep When I’m Dead
17) Have A Nice Day
18) Keep The Faith
19) Bad Medicine
Encore
20) Always
21) Livin’ On A Prayer
Encore 2
22) These Days


VEJA A GALERIA DE FOTOS DO SHOW:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário