Anthrax faz show impecável e lava a alma dos headbangers cariocas

Por: Michelle Gonçalves

Foto: Paulo Cassio/Universodorock
Foto: Paulo Cassio/Universodorock

“Rio, eu espero que a chuva não assuste vocês”. Pelo Twitter, o líder Scott Ian convocava os fãs no último domingo, 22 de abril, para o show do Anthrax na Fundição Progresso. Após cancelar a apresentação no Metal Open Air, a banda estava na maior expectativa para tocar no Rio de Janeiro. “Nós estamos prontos”, avisou Scott. Os fãs também estavam. Afinal, passados sete anos desde a última vinda dos americanos à cidade maravilhosa, a vontade de ver os mestres do thrash metal era enorme. A chuva obviamente não seria empecilho para os cariocas que, pela primeira vez no ano, tiveram a oportunidade de curtir um grande show de heavy metal.

VEJA GALERIA DE FOTOS DO SHOW

Antes de Scott Ian & cia subirem ao palco, as bandas Anesthesia, cover do Metallica, e Misfits se encarregaram de aquecer o público. A segunda está em turnê com o Anthrax. Embora apresentasse defeitos técnicos ao longo do show – o engenheiro de som parecia não acertar – o trio formado pelo baixista e vocalista Jerry Only, o guitarrista Dez Cadena e o baterista Eric Arce, agradou boa parte dos presentes com o seu horror punk característico. No repertório, clássicos como Halloween, American Psycho, Die Die My Darling e músicas do álbum mais recente The Devil’s Rain.

Foto: Paulo Cassio/Universodorock
Foto: Paulo Cassio/Universodorock

Mas foi o Anthrax quem lavou a alma dos cariocas com um show de tirar o fôlego. A atração principal da noite surgiu às 23h para executar com perfeição sucessos matadores dos 31 anos de carreira e algumas faixas do trabalho mais novo, o aclamado Worship Music, que marca a volta de Joey Belladonna aos vocais. A presença do lendário vocalista foi um motivo a mais para surtar durante 2 horas de thrash metal de primeira.

Earth on Hell e Fight ‘Em Till You Can’t, ambas do Worship Music, abriram o setlist. Além do carisma único de Joey, as altas doses de empolgação do baixista Frank Bello e do guitarrista Scott Ian contagiavam o público. Ao lado dos incríveis Charlie Benante (bateria) e Rob Caggiano (guitarra), os músicos tiveram os fãs nas mãos do início ao fim do show, que continuou com Caught In A Mosh, cujo status no set dos americanos é vitalício, e Antisocial do Trust. Além deste, a banda tocou mais dois covers: Got The Time de Joe Jackson e Refuse/Resist do Sepultura, que rolou no bis.

Scott Ian saudou o público e imediatamente comparou a plateia à do show de 2005, que rolou no Citibank Hall. “Agora está muito melhor, Rio”, constatou diante da casa lotada. A banda tocou mais duas do Worship Music: The Devil You Know e In the End. A temperatura disparou com o clássico Indians. Atendendo a pedidos de fãs no Twitter, Scott anunciou a canção que abre o álbum de estreia Fistful of Metal: Deathrider.

Medusa, Among the Living e Be All, End All vieram em sequência. No bis, a Fundição pegou fogo com as matadoras Madhouse, Metal Thrashing Mad e I’m The Man, em que Frank Bello e Scott Ian dão um show à parte com suas performances vocais, arrasando no rap. I Am The Law fechou a apresentação, que se dependesse dos fãs não teria hora pra acabar. No final, a sensação de dever cumprido e a promessa de voltar logo. “Rio, demoramos muito pra voltar. Foram sete anos! Não vamos levar tanto tempo da próxima vez”, profetizou Scott Ian. Que assim seja, mestre!

Setlist – Anthrax:
Earth On Hell
Fight ”Em Till You Can”t
Caught In A Mosh
Antisocial (Trust cover)
The Devil You Know
Indians
In The End
Got The Time (Joe Jackson cover)
Deathrider
Medusa
Among The Living
Be All, End All

BIS
Madhouse
Metal Thrashing Mad
I”m The Man
Refuse/Resist (Sepultura cover)
I Am The Law

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.